Passo a passo de como minerar Ethereum!

Minerar Ethereum é vantajoso? Veja como iniciar a atividade de mineração do Ether e qual a importância dessa atividade para a rede da criptomoeda

0 20.805

Você já ouviu falar em mineração de criptomoedas? E sobre minerar Ethereum? Precisamos falar inicialmente sobre o conceito de mineração. A mineração surgiu junto ao Bitcoin, com a tecnologia de blockchain, criada por Satoshi Nakamoto, e até hoje é utilizado no mercado dos ativos eletrônicos como forma de emissão de novas moedas.

 

As Altcoins (moedas alternativas ao Bitcoin) utilizam da técnica de mineração para a emissão de novas unidades de ativos, oferecendo recompensas aos programadores que disponibilizarem seu poder computacional para o processamento dos blocos.

 

Assim, como um opção adjacente à compra de criptomoedas, a mineração atrai muitos programadores e investidores, que se colocam à disposição dos desafios encontrados na mineração para diversificar suas carteiras e, consequentemente, agregar capital para investimento.

 

Para além do Bitcoin (BTC), é possível minerar Ethereum (ETH), Zcash (ZEC), Litecoin (LTC) e muitas outras Altcoins.

 

A mineração de Ethereum, no entanto, é uma das mais vantajosas. A moeda é a segunda mais capitalizada do mundo e, por isso, oferece uma boa perspectiva de investimento para quem deseja investir em criptomoedas rentáveis e de alta escalabilidade.

 

Para te ajudar nessa missão, preparamos um guia simples sobre como minerar Ethereum. Saiba mais a seguir!

 

 

Minerar Ethereum e outras criptomoedas

Para minerar Ethereum, antes de qualquer coisa, é preciso entender como a mineração de criptomoedas é feita. As criptomoedas utilizam da técnica de mineração para validar as transações da rede e, assim, oferecer recompensas para os mineradores dispostos a solucionar os problemas necessários.

 

De forma simples, a mineração é um processo que visa a resolução de problemas matemáticos complexos, que fornecem à rede uma espécie de “prova de trabalho” que, por sua vez, é utilizada para verificar as transações realizadas de um ponto a outro, ou seja, de uma carteira para outra.

 

Dessa forma, os mineradores investem poder computacional na solução dos problemas matemáticos, fazendo a rede operar de forma fluída para os demais usuários.

 

Mas não para por aí. A mineração também contribui para a criação de novos tokens, gerando recompensas para os mineradores que concluírem com sucesso a tarefa estabelecida de aprovar transações ao final de cada bloco.

 

Logo, uma vez que novos mineradores entram em cena, os problemas tornam-se mais complexos e demandam mais tempo e capacidade computacional para a resolução. Por outro lado, em consequência do grande número de mineradores em jogo, as recompensas tornam-se menores. Por isso, para alguns mineradores, às vezes o lucro é simbólico. No entanto, a contribuição é essencial para a rede.

 

 

Ethereum

A Ethereum é uma plataforma de código aberto, que se inspirou na cadeia de blockchain para desenvolver um ambiente inteiramente descentralizado para os usuários do meio digital, permitindo a criação de aplicações, execução de contratos e negociação de ativos sem o controle centralizado de instituições.

 

Embora o termo Ethereum represente a plataforma em si, ele está fortemente associado à criptomoeda que circula pela rede – o Ether. 

 

Ocupando o segundo lugar no ranking dos criptoativos mais capitalizados do mundo, a moeda da Ethereum anda lado a lado do Bitcoin – o primeiro e mais popular ativo eletrônico. Dessa forma, é possível perceber o seu grande potencial para o mercado.

 

Além disso, como o Bitcoin, o Ethereum pode ser minerado para gerar tokens e fazer a rede funcionar de forma ininterrupta – sendo, portanto, constantemente validada pelos mineradores.

 

 

Como Minerar Ethereum

Como minerar Ethereum?
Como minerar Ethereum?

O Bitcoin representa um dos principais exemplos de mineração a prova de trabalho. Na rede, os mineradores utilizam de cabeçalhos exclusivos, referentes a cada bloco, que contém dados como data, hora e versão do software, gerados por meio de uma função hash, responsável por criar uma sequência de numerais e letras aleatoriamente.

 

Nesse sentido, a missão dos mineradores é encontrar um hash correspondente ao destino atual, determinado pelo cabeçalho. Com isso, uma vez que a correspondência é pareada, o bloco é considerado minerado e é transmitido para a rede, de modo a permitir que outros nós validem a transação, adicionando sua cópia à blockchain, garantindo o registro das informações.

 

No entanto, no caso do Bitcoin, a mineração não é tão simples. Em decorrência do avanço das plataformas ASIC, somente empresas com grande poder computacional são capazes de realizar a mineração dos blocos, o que gera um problema de centralização do mercado de mineração.

 

Por outro lado, quando falamos sobre minerar Ethereum, o processo segue um caminho diferente. A plataforma estimula a mineração descentralizada, impedindo que redes ASIC sejam utilizadas, assim, possibilitando que mineradores com menor poder computacional também minerem os blocos. A base do algoritmo usada pela Ethereum é chamada de Ethash.

 

 

Pools de mineração

Os pools de mineração são muito utilizados por quem deseja obter tokens de Ether, mas sem gastar muito. Para minerar Ethereum, é recomendado um relevante poder computacional, para que seja possível solucionar os problemas matemáticos com mais facilidade. Assim, os pools entram como uma forma de redução de custos, onde grupos de mineradores unem seus esforços, formando os pools, de modo a aumentar suas chances de mineração.

 

Para quem está começando a minerar Ethereum, a opção pode ser avaliada. Integrar um pool de mineração significa aumentar potência de mineração sem que seja necessário investir muito dinheiro, individualmente, em poder computacional.

 

Existem sites de inscrição para integrar os principais pool de mineração de Ethereum online. 

 

Desvantagens do modelo de mineração de ethereum via pools de mineração:

A desvantagem das pools de mineração é que, infelizmente, diversos golpes financeiros existem por trás de projetos de mineração. Empresas que prometem altos lucros, por exemplo, devem ligar o alerta vermelho. E aqui, vale registrar que deve existir um enorme trabalho de pesquisa sobre a idoneidade das empresas disponíveis para este tipo de mineração.

 

Não é incomum encontrar diversas matérias que relatam golpes aplicados por empresas de mineração que em determinado momento, somem com o investimento de quem aplicou dinheiro. Portanto, se informar com toda propriedade sobre o ramo, o tempo de existência, o depoimento de pessoas sobre o serviço prestado, as redes sociais, os canais de comunicação, o CNPJ ou qualquer tipo de registro pertencente à empresa deve obrigatoriamente ser conferido.

 

 

Minerar Ethereum ainda vale a pena?

Se colocarmos em perspectiva os resultados da mineração de Ethereum quando a plataforma ainda estava em ascensão frente aos resultados hoje em dia, veremos que tempos atrás, minerar Ethereum era muito mais vantajoso.

 

Afinal, o número de mineradores ativos era menor, o que tornava as recompensas mais altas e os problemas matemáticos menos complexos. 

 

O aumento de mineradores cresce a cada dia, fazendo o processo se tornar mais difícil e, principalmente, mais caro. Contudo, com a valorização da moeda, especialistas veem um cenário próspero para quem deseja minerar Ethereum a longo prazo. Caso o valor da moeda continue a subir, as recompensas serão consideráveis e, com o tempo, representarão um faturamento interessante.

 

No entanto, não há como prever o cenário futuro. Mas, se há algo que não podemos negar, é a importância de minerar Ethereum para a rede, o que garante o funcionamento intermitente da plataforma e a constante emissão de tokens para o mercado. 

 

Para saber mais sobre a plataforma, conheça o Guia Completo Ethereum: o que é, para que serve, como negociar que preparamos para você!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.