Faça Contratos Inteligentes com o Ethereum!

Saiba mais sobre os Contratos Inteligentes: os acordos virtuais seguros baseados e registrados na Blockchain para assegurar as suas transações e negociações!

0 77

O universo das criptomoedas pode ser confuso para grande parte das pessoas, principalmente, para os novos investidores, que ao entrarem nesse mundo se encontram cheios de possibilidades e com dezenas de ferramentas à sua disposição.

 

Entretanto, como utilizá-las ao seu favor?

 

Uma das ideias que circula pela indústria do blockchain e que causa muitos questionamentos são os famosos Contratos Inteligentes

 

Ligados diretamente à rede Ethereum, os Contratos Inteligentes funcionam de maneira similar aos contratos tradicionais, que são usados no dia a dia para finalizar acordos entre duas partes (compradores e vendedores, por exemplo).

 

Contudo, no mundo virtual, esses acordos são feitos entre usuários e saber como utilizá-los ao seu favor pode ser interessante. Assim, enquanto um contrato comum prevê termos que dizem respeito a um relacionamento, entre quem compra e quem vende, por exemplo, os contratos inteligentes propõem uma relação entre o código criptografado.

 

Tudo isso só é possível graças à tecnologia do blockchain.

 

Saiba como os Contratos Inteligentes funcionam e a importância de usá-los em suas transações!

 

 

O que são Contratos Inteligentes?

 

Contratos Inteligentes com o Ethereum
Contratos Inteligentes com o Ethereum

 

De maneira mais aprofundada, os Contratos Inteligentes são acordos virtuais, que ditam normas relacionadas a códigos de programação, criptografados por meio de uma blockchain.

 

Na prática, os Contratos Inteligentes são programas que executam configurações previamente definidas por seus criadores, a fim de determinar o seguimento de certas operações.

 

A ideia dos Contratos Inteligentes foi criada, inicialmente, pelo criptógrafo e cientista da computação Nick Szabo, que pensou no desenvolvimento de uma máquina de venda digital automatizada – isso tudo ainda em 1993.

 

Dessa forma, o cientista conectou a razão contabilista descentralizada à criação de Contratos Inteligentes, onde os acordos poderiam ser convertidos em códigos de programação e, com isso, armazenados e replicados dentro de um sistema supervisionado pela rede de computadores. 

 

Esse conceito, no final, foi aplicado à cadeia de blockchain e resultou, por fim, no desenvolvimento de Contratos Inteligentes.

 

No entanto, o que isso significa?

 

Por exemplo, imagine que um usuário da rede Ethereum deseja enviar em determinada data 10 unidades de Ether (moeda da plataforma) para um amigo. Para isso, portanto, o indivíduo deve criar um Contrato Inteligente, onde deve subir os dados com as informações do comando que, por sua vez, executará a transação.

 

Assim, o Ethereum seria uma plataforma base para tais ações, que com os contratos inteligentes eliminaria a necessidade de um contato intermediário.

 

 

Como os Contratos Inteligentes funcionam?

 

A rede do Bitcoin é uma das primeiras a dar suporte e adotar o uso dos Contratos Inteligentes – porém, de maneira mais simplificada, sem as possibilidades dos atuais Contratos Inteligentes geridos na rede Ethereum. No geral, a própria rede possuía a permissão para transferir valores de um usuário para outro, mediante o cumprimento de determinadas condições, previstas por um acordo.

 

O Ethereum, por sua vez, já possibilitou o uso de Contratos Inteligentes de forma mais complexa, principalmente por se tratar de uma plataforma ampla. Com isso, ao invés de uma linguagem básica, a rede permitiu que os próprios usuários passassem a escrever os programas de Contratos Inteligentes.

 

Na plataforma, portanto, é possível projetar, por conta própria, o comando de execução dos Contratos Inteligentes que possibilitam: 

  • O funcionamento dos Contratos Inteligentes como forma de assinatura múltipla, que libera gastos de fundos somente mediante a aprovação de uma determinada quantidade de pessoas;
  • O gerenciamento de acordos;
  • A disponibilidade de utilidade para outros contratos adjacentes;
  • O armazenamento de informações em aplicações externas, como registro de domínios e registro dos usuários. 

 

Dentro de uma plataforma de negociações, existem duas partes (um comprador e um vendedor) que desejam realizar uma transação de criptomoedas, com unidades de Ether, por exemplo. 

 

O vendedor e comprador combinam como será feita a negociação. Assim, o contrato pode receber ativos, distribuí-los e no final da negociação a ação – da transação, no caso – só será concluída a partir do momento em que os termos do contrato forem cumpridos. 

 

Por fim, o registro será feito e o acordo automatizado, permitindo que o programa verifique as condições e, então, distribua os ativos. 

 

 

Como criar Contratos Inteligentes?

 

Para criar um Contrato Inteligente você precisará ficar atento a alguns detalhes, tendo em vista a necessidade de:

  • Objeto de contrato. Ou seja, os bens e serviços que serão disponibilizados mediante o cumprimento do acordo para as partes em negociação. 
  • Assinaturas digitais. Logo, para que o contrato seja feito de maneira correta, ambas as partes da negociação deverão assinar o acordo com suas chaves privadas, garantindo a segurança da transação. 
  • Termos. Todo contrato precisa de termos e condições e, por isso, para a configuração de contratos inteligentes é preciso determinar como a operação deve seguir para que os ativos sejam desbloqueados. Vale lembrar que todas as partes devem, sem exceção, assinar os termos do contrato. 
  • Plataforma. Por fim, será necessário uma plataforma para mediar as negociações e desenvolver o Contrato Inteligente. O Ethereum é uma das principais redes que trabalha com esse tipo de opção para os usuários, assim, é possível contar com ele na hora de realizar a criação dos contratos inteligentes e definir seus termos de uso para que a negociação saia como o planejado. 

 

Em suma, os contratos inteligentes são ferramentas muito importantes para a negociação de criptomoedas e para negociações que tenham as criptomoedas como forma de pagamento. Por meio deles, você pode garantir 100% de assertividade nas transações, evitando fraudes e perdas, que podem ser acarretadas pela falta de um acordo formal.

 

O Ethereum, por exemplo, é capaz de executar o código dos Contratos Inteligentes em qualquer tipo de transação, através da tecnologia “bytecode”, uma série de zero e zero que pode ser lida e compreendida, acima de tudo, pela plataforma.

 

Com base nisso, na hora de realizar transações com criptomoedas – mesmo que você ainda seja iniciante – vale a pena apoiar-se em Contratos Inteligentes e, dessa forma, garantir ações seguras e executadas sob os seus termos. 

 

E não pense que para começar a investir é preciso ter muito dinheiro. Na verdade, é possível entrar nesse negócio com pouco. Clique aqui e saiba mais sobre como entrar no mercado de Bitcoin com pouco dinheiro.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.