3 Dicas para Minerar Ethereum

Saiba como minerar Ethereum: desde a configuração do hardware até a instalação do software para mineração!

0 6.847

Descobrir como configurar todo o equipamento para minerar Ethereum pode ser uma tarefa difícil, principalmente para alguém sem o conhecimento técnico.

 

Com a expansão do mercado, mais e mais pessoas estão procurando investir na criptomoeda Ethereum. O que algumas pessoas podem não perceber é que também é possível minerar Ethereum para gerar passivamente uma renda todos os meses.

 

É sobre isso que falaremos a seguir.

 

 

Então, como minerar Ethereum?

Primeiro, é necessário um computador com uma boa placa gráfica, que seja capaz de calcular um algoritmo para resolver problemas e gerar Ether. Na plataforma Ethereum, os ‘blocos’ são encontrados pelas máquinas em média a cada 15 segundos. Isso significa que a cada 15 segundos, a rede Ethereum paga a quem encontrou o bloco um total de 5 Ether – no entanto, o valor pode variar.

 

Atualmente, existem muitas opções para o minerar Ethereum. Porém, isso dependerá exclusivamente do seu poder computacional.

 

 

Dica 1: Escolha uma bom hardware para minerar Ethereum

A configuração padrão para um bom poder computacional, capaz de minerar Ethereum de forma consistente, é a seguinte:

  • 6x placas de vídeo (mínimo 3 GB, 4 GB recomendado)
  • 6x Risers
  • Placa-mãe (com mínimo de 6 slots PCI para risers)
  • CPU potente
  • Memória potente
  • Fonte de energia potente
  • SSD
  • Cabo Ethernet (não execute wi-fi)
  • botão liga/desliga para placa-mãe
  • ventiladores para refrigeração 

Com essa configuração, você encontraria em média cerca de 0.5 ETH por mês. Isso mudará dependendo da dificuldade de mineração de Ethereum. Para fazer melhor o cálculo relacionado aos seus ganhos, você pode usar o site WhatToMine.

 

 

Configuração da pools para minerar Ethereum

Infelizmente, não é possível atingir resultados expressivos através de uma mineração solo. Portanto, é necessário aderir a uma pool de mineração. Um pool de mineração combina o hashrate de todos os mineradores e aumenta bastante as chances do grupo encontrar um bloco. Isso, portanto, permite alcançar pagamentos estáveis ao pool, mesmo que você, individualmente nunca encontre um bloco.

 

Existem algumas opções para pools de mineração Ethereum que variam dependendo de como seu hashrate geral, a estrutura de taxas e estrutura de pagamento.

 

 

Dica 2: Instale um Software de mineração de Ethereum

O mais fácil e rápido de minerar Ethereum em pools é através do NiceHash . O minerador NiceHash escolherá automaticamente o melhor algoritmo para o hash, seja Ethereum ou qualquer outro. Para usar o NiceHash, basta visitar o site e baixar o instalador AMD ou nVidia dependendo de qual placa de vídeo você possui (nota: alguns softwares antivírus pegam softwares de mineração como arquivos maliciosos).

 

Depois de instalado, execute o programa e aguarde enquanto ele executa uma varredura rápida para detectar o hardware e instalar o software.

 

Clique no botão de referência e comece a varredura. Depois de fazer isso, você está pronto para começar a minerar.

 

Os pagamentos em Nicehash são diários. Também é importante observar que tem-se aproximadamente 20% menos hashrate geral, porém o recurso de troca pode permitir que você seja mais lucrativo do que se simplesmente minerasse Ethereum sozinho.

 

 

Nanopool / Ethermine (Claymore Dual Miner)

Nanopool é o maior reservatório de mineração com cerca de 130.000 mineradores ativos. As taxas são de 1% e também pagam por Uncle Block. Isso significa que se seus mineradores estivessem perto de resolver o algoritmo que pagaria o bloco, você receberá um bônus por isso por meio do nanopool.

 

Outra opção para uma piscina de mineração seria Ethermine . Eles têm cerca de 75.000 mineiros ativos e têm uma taxa de 1%, e também pagam por Uncle Block.

 

Tanto o Nanopool quanto o Ethermine podem rodar diferentes softwares de hash para Ethereum. Muitos especialista recomendam executar o Claymore Dual Miner, pois ele permite fazer hash tanto para Ethereum quanto para outra moeda. Isso ocorre porque o Ethereum depende muito do uso de memória enquanto o processador central fica ocioso. Durante a mineração dupla, a memória de sua placa de vídeo terá hash para Ethereum, e o processador central terá hash para Decred, por exemplo.

 

 

Dica 3: Faça testes!

Agora que sua estrutura para minerar Ethereum está configurada, é só testar a garantir seu bom funcionamento. Depois de realizar todos os testes necessários, é só sentar e assistir enquanto suas placas de vídeo geram uma receita passiva todos os meses.

 

Além disso, os testes também são importantes para entender melhor como expandir seu poder computacional no futuro, podendo assim, gerar mais lucros ao minerar Ethereum.

 

É importante considerar possíveis custos variáveis ​​durante a mineração. Os custos variáveis ​​podem ser custos de eletricidade, custos de manutenção, taxas de pool, taxas de desenvolvimento, taxas de câmbio, etc.

 

Portanto, minerar Ethereum é um bom investimento, pois reduz os riscos de negociação em um mercado volátil e é uma ótima maneira de gerar renda passiva todos os meses.

 

Agora que você já sabe como minerar Ethereum, negocie suas moedas na Braziliex!

 

E para saber mais sobre o universo dos criptos, leia: 10 perguntas frequentes sobre criptomoedas!

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.