O que é ICO no Universo do Bitcoin?

Um ICO pode financiar o nascimento de uma nova criptomoeda ou projeto tecnológico importante para a sociedade. Confira o que é e como participar de um ICO.

0 82

O mercado financeiro está em constante evolução, afinal, esse é um cenário em movimento – que nunca para e sempre oferece oportunidades de negócios e inovações. Desde o surgimento das famosas criptomoedas, o mundo econômico passou por muitas mudanças, abraçando, então, a tecnologia das criptos e tornando-a um meio fundamental para o seu desenvolvimento – vide as recentes tecnologias construídas através da rede Blockchain.

 

Não podemos falar do mercado financeiro sem mencionar a tecnologia das criptomoedas e como ela é determinante para o desenvolvimento desse cenário. No geral, diversos fatores envolvem o mundo econômico, desde investidores até eventos que são primordiais para a alta cotação de moedas e ações, como é o caso do ICO.

 

A sigla ICO significa Initial Coin Offering ou, em português, a Oferta Inicial de Moedas, que consiste basicamente no lançamento ou na abertura da negociação de um novo tipo de criptoativo. Esse evento pode ser considerado como o nascimento de uma criptomoeda no mercado e sua ascensão nas plataformas de negociação, que após o ICO passa a ser liberada para os investidores. 

 

De alguns anos para cá, o ICO passou a ser uma verdadeira tendência no mercado financeiro, movida, principalmente, por investidores que desejam embarcar em negócios lucrativos que, segurados pelo ICO, oferecem boas perspectivas no cenário econômico. 

 

A ideia inicial do evento é levantar fundos para a criação de novos projetos, seguindo a ideia de predefinição de criptomoedas e tokens da blockchain, através do ICO. O processo é muito popular e pode afetar a cotação de algumas criptomoedas já existentes, como o Ethereum, por exemplo. 

 

Dessa forma, é preciso ficar atento quanto ao ICO, pois ele pode ser determinante para que as negociações de ativos sejam positivas e também lucrativas. Afinal, ele propõe soluções para diversos nichos do sistema, o que pode contribuir para a colocação das demais moedas. Confira mais a respeito desse assunto ao longo do conteúdo!

 

 

O mercado de criptomoedas e o Bitcoin

O mercado das criptomoedas só existe, da forma como conhecemos, graças ao Bitcoin. A moeda criada por Satoshi Nakamoto foi pioneira nesse segmento e abriu caminhos para o surgimento de um cenário financeiro, até então, inexplorado. 

 

O Bitcoin foi a primeira criptomoeda lançada no mercado, ali em meados de 2008, quando seu criador, utilizando o pseudônimo de Nakamoto, lançou esse novo ativo financeiro e a sua rede, denominada blockchain, que chegou para mudar a maneira como lidamos com o dinheiro. 

 

A primeira criptomoeda traçou um longo caminho até chegar ao patamar que ocupa hoje. Com altos e baixos, o ativo se destacou entre investidores e conquistou um lugar especial nas principais carteiras no mundo. 

 

Bitcoins são moedas digitais descentralizadas, que não possuem qualquer ligação com um Banco Central ou instituição financeira. Sua emissão é limitada a um total de 21 milhões de moedas, que são geradas em  blockchains por mineradores que atuam de forma exclusiva nesse mercado. 

 

A cotação da criptomoeda, por não depender de nenhum banco ou instituição, é definida de acordo com a lei de oferta e demanda, que rege o valor do Bitcoin no mercado através da relevância do ativo no mundo financeiro. 

 

Da mesma forma, o valor de um ICO é definido, sobretudo, pela lei da oferta e demanda, regida pelo mercado de negociações e todos os seus interessados. No entanto, não é somente esse fator que influencia o preço de um ICO. Na verdade, tudo o que acontece no cenário econômico pode ser um gatilho para a alta ou baixa da oferta inicial.

 

Por isso, para entrar na cena de investimento de um ICO, é essencial conhecer o mercado e todas as questões que o envolvem, desde fatores que ditam a cotação até eventos fundamentais para o desenvolvimento da moeda no mercado.

 

 

O que é ICO?

Conhecido como Initial Coin Offering ou Oferta Inicial de Moedas, o ICO é um evento de lançamento que acontece no mercado financeiro, onde startups ou usuários apresentam a investidores uma nova criptomoeda ou cripto-token em troca de Bitcoin ou Ethereum. 

 

O processo de “troca” atua como uma forma de financiamento para a criação de novos ativos no mercado, a fim de somar capital para suprir as necessidades de desenvolvimento da criptomoeda em ascensão, de maneira a tornar o projeto realidade. 

 

O ICO já foi o pontapé inicial para diversos projetos de sucesso, como por exemplo, o Ethereum e o EOS – e mais algumas das principais moedas virtuais existentes no mercado. Dessa forma, desde o surgimento de tais ativos mediados pelo ICO, o processo passou a ser uma oportunidade para muitos projetos em desenvolvimento, com a liberação de tokens integrados. 

 

Essa oferta inicial atua como uma ferramenta de financiamento, que ajuda novas criptomoedas a serem lançadas no mercado. Assim, essa troca de moedas por cripto-token é uma maneira de garantir a recompensa de investidores, que com o sucesso do novo ativo podem convertê-los em ações no futuro. 

 

Logo, mediado pelo sucesso de alguns projetos de ICO, o processo de financiamento tornou-se muito popular e hoje se destaca como um dos grandes eventos do mercado. O ICO influencia todo o mercado financeiro.

 

 

Como funciona o ICO?

A chamada Oferta Inicial de Moedas surge inicialmente como um anúncio em fóruns destinados ao mercado de criptoativos, como o Bitcointalk, uma das principais comunidades desse segmento. 

 

O anúncio é feito por meio de um tópico específico, que contém informações essenciais sobre o desenvolvimento do projeto, detalhando, assim, as metas, os cronogramas e a natureza da negociação. 

 

Essa espécie de whitepaper apresenta, então, o projeto como um todo, englobando aspectos como equipe envolvida na criação do criptoativo e sua experiência anterior nesse segmento, além de características fundamentais do desenvolvimento do modelo de moeda. 

 

O financiamento ocorre através da coleta de criptomoedas consolidadas, como o Bitcoin ou o Ethereum, por meio de um endereço público ou contas privadas. 

 

Vale ressaltar ainda que o ICO passa por algumas etapas determinantes para os desenvolvedores do projeto e também para os investidores. Veja quais são:

 

 

Etapas do ICO

O primeiro passo para o lançamento do ICO é a divulgação do whitepaper, que contém as diretrizes do projeto a ser financiado. Dessa forma, após a apresentação do modelo de negociação, o ICO passa pelas seguintes etapas: 

 

1. Abertura de oferta inicial

O próximo passo para lançamento do ICO é a abertura do projeto para oferta, onde os investidores, sejam eles empresas ou investidores individuais, podem reservar ou comprar tokens integrados ao projeto. 

 

Nessa etapa, os investidores abrem seu capital para investir no novo tipo de criptomoeda que está sendo desenvolvido e, assim, contribuem com os custos para a criação e lançamento do ativo que pode se tornar um grande sucesso no mercado. 

 

2. Encerramento da oferta

A próxima etapa conta a partir do momento em que os desenvolvedores da nova moeda fecham o cenário para mais financiamentos e, então, avaliam o capital arrecadado. 

 

Logo, o resultado pode acarretar em dois cenários diferentes: um onde o valor totalizado é como o esperado e, assim, a empresa pode desenvolver a novo moeda com todo o suporte necessário, e outro onde a meta não é atingida e, portanto, os valores retornam aos seus investidores. 

 

3. Distribuição de tokens aos investidores

Caso o cenário do ICO seja positivo e a empresa desenvolvedora consiga atingir sua meta para seguir com a criação da nova moeda, a última etapa do processo é encerrar a oferta inicial e, então, distribuir os cripto-tokens aos investidores. 

 

Os tokens funcionam como uma espécie de “recompensa” àqueles que apostaram no projeto e, no futuro, eles podem ser convertidos em títulos ou ações da nova moeda. 

 

Além disso, é possível guardar o token em carteiras virtuais ou comercializá-lo junto a Exchanges.

 

 

Encerramento do ICO

No entanto, esse processo pode variar de acordo com o projeto em questão e a demanda dos desenvolvedores. 

 

Com isso, ao fim do ICO, após a moeda ser lançada, os investidores recebem o equivalente a seus tokens e assim que uma Exchange adicionar o novo ativo em sua lista de criptomoedas para negociação, é possível vender ou trocar por diferentes moedas – como o Bitcoin ou o Ethereum.

 

Durante o processo do ICO, por sua vez, alguns tokens são reservados, o que gera uma determinada quantia em estoque para a empresa responsável pelo projeto. Estes, então, podem ser revertidos como verba para campanhas publicitárias ou até mesmo para a equipe de criação, como um pagamento pelo projeto. 

 

 

Histórico do ICO

A aplicação de ICO como forma de financiamento surgiu há pouco tempo, em meados de 2013, com a Ripple, que desenvolveu cerca de 100 bilhões de tokens XRP como uma maneira de bancar o desenvolvimento da sua plataforma. 

 

Desde então, o processo ganhou ainda mais adeptos e comprovou ser, na prática, uma fórmula interessante para novos desenvolvedores. Ainda em 2013, a Mastercoin também entrou nessa onda e desenvolveu um projeto de sucesso, visando executar smart contracts e aplicar o uso de tokens nas movimentações que envolviam Bitcoin, com base na blockchain. Assim, o desenvolvedor chegou a vender cerca de um milhão de tokens e arrecadou milhões de dólares em cima dessa ação. 

 

Há muitos outros casos que envolvem o lançamento de criptomoedas muito famosas através do ICO, como é o exemplo do Lisk, do LiteCoin, Ripple, Dash e, principalmente, o Ethereum.

 

 

Ethereum

O maior exemplo do sucesso do ICO quanto ao lançamento de novas tecnologias é o Ethereum, do qual o criptoativo Ether (ETH) deriva, que se destaca como uma das moedas mais conhecidas e negociadas no mundo, ficando atrás apenas do Bitcoin.

 

Em 2014, a Fundação Ethereum liquidou sua moeda Ether (ETH) por um valor de 0.0005 Bitcoin no mercado, por meio de ICO, onde foram arrecadados cerca de U$ 20 milhões de dólares para o financiamento da empresa. 

 

Este se tornou um dos maiores crowdfunding da história, que serviu como capital para o desenvolvimento da fundação que nos dias de hoje se destaca como uma das maiores plataformas do mundo: a Ethereum, uma plataforma global de código aberto para aplicativos descentralizados. A plataforma executa ‘Contratos inteligentes’ através de uma infra-estrutura global compartilhada extremamente poderosa – a Blockchain.

 

 

ICO e o mercado de Bitcoin

 

O que é ICO no Universo do Bitcoin?
O que é ICO no Universo do Bitcoin?

 

Mas, afinal, qual a relação entre os ICOs e o mercado de Bitcoin? 

 

O Bitcoin já é uma moeda consolidada no mercado financeiro e, com isso, não depende de ICO para o seu desenvolvimento ou manutenção. Sendo assim, como tais eventos podem influenciar os investidores do ativo pioneiro no setor econômico? 

 

Todo impacto que o mercado da economia sofre pode afetar a cotação das principais moedas e ações do mundo, pois se há alguma interferência que impede os investidores de comprar ativos e aplicar capital em rendimentos alternativos, consequentemente, a demanda é reduzida. 

 

Nesse sentido, tudo o que acontece no mercado pode ser um fator para a alteração da cotação da moeda – inclusive o ICO. 

 

ICOs bem sucedidos fazem com que o Bitcoin se movimente no mercado, principalmente pelo fato de que os investimentos são feitos com a moeda. Logo, um ICO que arrecada milhões faz com que a demanda pelo ativo suba e, assim, sua valorização aumente. 

 

Grande parte dos ICOs é feita com investimento em Bitcoin e, dessa forma, quando um projeto é lançado, há uma maior perspectiva de compra da moeda. 

 

Além disso, investidores que possuem Bitcoin em sua carteira de aplicações podem também investir em projeto de oferta inicial e ampliar sua carteira, auxiliando novos desenvolvedores com a criação de diferentes ativos que podem um dia ganhar o mercado financeiro. 

 

Quando você compra tokens de ICOs em desenvolvimento, é possível revertê-los, futuramente, em títulos e ações ou até mesmo dobrar o investimento, vendendo as moedas obtidas pelo projeto em Exchanges, após o lançamento do ativo, de acordo com sua valorização. 

 

Assim, entrar em um projeto em suas etapas iniciais pode ser uma boa opção para quem deseja investir em algo novo no mercado – desde que pesquise pela seriedade do novo projeto e todas as informações citadas nesse texto sobre o lançamento de um ICO.

 

No entanto, é preciso tomar cuidado, pois algumas pessoas apontam o processo de ICO como um mero golpe de arrecadação. Por isso, é preciso saber no que você está investindo, evitando, dessa forma, prejuízos.

 

O ICO já comprovou ser eficiente em diversos cases de sucessos, como a Ethererum e a Ripple, que conseguiram se consolidar no mercado através dessa forma de investimento. 

 

Então, com a Exchange certa para você comprar seu Bitcoin de forma segura e confiável, e um projeto de ICO que valha de fato a pena, não há com que se preocupar. 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.