Descubra o que são Stablecoins e como usá-las!

Conheça as stablecoins e saiba as principais funções das chamadas "moedas estáveis", que estão cada vez mais sendo utilizadas no mercado de criptomoedas

0 700

O mercado financeiro é repleto de opções para quem deseja investir ou, simplesmente, proteger seu capital com alternativas mais seguras e estáveis. Para isso, podemos contar com a renda fixa, em que os rendimentos são preferencialmente pré-fixados, ou então com um nicho de criptomoedas chamadas stablecoins.

 

Apesar de não serem tão populares quanto os criptos, que tiveram um crescimento astronômico nos últimos anos, as stablecoins são opções interessantes e podem ser utilizadas para todo o tipo de lastro, incluindo ouro, petróleo e Euro.

 

O termo “stablecoin”, em tradução literal, significa “moeda estável” – e é justamente isso o que o ativo representa. 

 

Imagine uma criptomoeda a qual a cotação está sempre próxima ao valor do dólar. Imaginou? Esta é uma stablecoin. A ideia é promover a transparência e privacidade da blockchain, junto a estabilidade das moedas mais tradicionais, conhecidas como fiduciárias.

 

Graças a paridade com os ativos centralizados, então, as stablecoins são alternativas confiáveis e de pouca volatilidade. Este mercado, no entanto, é bastante amplo e pode oferecer opções com lastro do dólar, euro e até mesmo lastro de outras criptomoedas, como o Ether e afins.

 

Neste artigo, preparamos um guia completo com tudo o que você precisa saber sobre as stablecoins antes de realizar o investimento. Então, continue a leitura e fique por dentro de tudo sobre stablecoins.

 

 

O que são stablecoins?

 

Entenda as Stablecoins!
Entenda as Stablecoins!

Como você pôde ver, stablecoins são moedas digitais que possuem paridade com moedas fiduciárias ou outro ativo com lastro. Deste modo, elas unem a segurança da criptografia da blockchain com a estabilidade dos ativos financeiros centralizados, de modo a fornecer aos investidores opções confiáveis para a reserva de capital, por exemplo.

 

Esta categoria de moedas podem ser entendidas como representações de moedas fiduciárias no mundo cripto. A emissão dos tokens das stablecoins, por sua vez, possuem lastros referências à ativos tradicionais e, por isso, estáveis, como o dólar ou o ouro.

 

Os algoritmos descentralizados das criptomoedas garantem que para cada token emitido exista uma quantidade de dólares, euro ou ouro custodiados proporcional em um cofre ou banco, que permita a emissão ou movimentação dos ativos quando necessário. Assim, a regra prevê que para cada token haja uma quantidade pré-definida dos ativos de referência.

 

 

Principais stablecoins

 

Atualmente, existem diversas stablecoins circulando no mercado. No entendo, os que mais se destacam são os de lastro dólar, como o Tether (USDT) e o True USD (TUSD).

 

A ideia desses ativos é a seguinte: imagine que um usuário realiza uma transferência bancária de 1.000 dólares para um administrador da stablecoin. Em seguida, o administrador retorna ao usuário um total de 1.000 tokens da moeda escolhida, enviando o saldo para a carteira do cliente.

 

Assim se dão as stablecoins com lastro em dólar. Porém, é importante lembrar que os tokens não devem ser, obrigatoriamente, negociados por 1 dólar. Da mesma forma como as demais criptomoedas, a cotação dessas moedas também pode flutuar nas exchanges – corretoras de criptomoedas, responsáveis por mediar negociações e promover um ambiente seguro para as transações.

 

Com isso, apesar de os valores das stablecoins estarem sempre próximos ao das moedas fiduciárias que representam seu lastro, às vezes, pode haver uma estabilidade mínima em relação à cotação. Frente a isso, os arbitradores devem buscar corrigir a disparidade.

 

Logo, é de responsabilidade do administrador da stablecoin garantir que o número de tokens em circulação seja igual ao montante de dólares armazenados, ou custodiados da moeda. 

 

Para verificar isto, deve-se contar com procedimentos como balancetes auditados, de modo a trazer transparências às operações. Porém, os processos dependem, exclusivamente, dos emissores das stablecoins.

 

 

Vantagens da stablecoin

 

Além de estáveis, essas moedas podem ser de grande utilidade no dia-a-dia. Elas, acima de tudo, representam praticidade para os investidores, mesmo que não possuam potencial de alta.

 

Veja quais são suas principais vantagens:

 

Stablecoins são moedas fortes

O dólar é uma das moedas fiduciárias mais fortes do mundo e, por isso, representa uma boa oportunidade de investimento, principalmente para aqueles que moram em países onde a moeda nacional é mais fraca, como é o caso do Brasil, por exemplo.

 

Assim, as stablecoins podem ser utilizadas como um meio de substituir as transações bancárias e taxas de câmbio dos meios tradicionais. Os investidores podem optar por adquirir a moeda digital ao invés do papel-moeda, tornando as transferências mais simples e baratas.

 

 

Stablecoins ajudam a evitar o saldo parado

Muitas pessoas quando vendem seus criptoativos em carteira, sejam eles Bitcoins ou Altcoins, não gostam de deixar o saldo parado, decorrente da negociação, na exchange. 

 

Assim, as stablecoins entram como uma excelente opção, uma vez que permite a auto-custódia dos ativos financeiros. Mas, o que isso quer dizer? 

 

As stablecoins possibilitam aos usuários armazenar seu saldo em carteiras próprias, que ficam, unicamente, sobre sua responsabilidade. 

 

 

Stablecoins facilitam as transferências entre exchanges

Transferir criptoativos entre exchanges é fácil. No entanto, quando se trata da transação de ativos fiduciários de uma corretora para outra, o processo sempre foi complicado. Para isso, é necessário sacar o valor em conta corrente bancária e em seguida, realizar o depósito na conta da outra exchange. 

 

Com as stablecoins, não há este problema. Da mesma forma como os criptomoedas são transferidas de forma rápida entre exchanges, as moedas estáveis também são!

 

 

Como adquirir uma stablecoin?

 

As stablecoins podem ser adquiridas de duas formas: diretamente com o emissor das moedas ou, então, com uma exchange. O método de compra direto, entre emissor e usuário, exige algumas etapas a mais para a validação, enquanto nas exchanges oferecem a negociação simplificada do ativo. 

 

Para comprar com o emissor, primeiramente, é necessário ter uma conta corrente ativa em dólar e atender as exigências de regulamentação de KYC e PLC – referente a identificação do cliente e prevenção à lavagem de dinheiro, respectivamente.

 

Outra alternativa é comprar com exchanges, uma opção mais prática e segura. Elas permitem que a troca seja entre moedas fiduciárias e stablecoins, ou também em criptomoedas. Além de oferecer segurança na hora de transferir e negociar. 

 

 

O jeito mais simples de comprar stablecoins no Brasil

Para comprar stablecoins no Brasil, você pode utilizar a corretora Braziliex, que tem algumas stablecoins em seu portfólio de negociação e estão acessíveis para compra e venda por reais (BRL.

A Braziliex é uma das exchanges de maior destaque no país. Com ambiente completo para negociações  variedades de stablecoins como:

 

Stablecoin Tether (USDT): pareada ao dólar americano;

Stablecoin TrueUSD (TUSD): pareada ao dólar americano;

Stablecoin Pax Gold (PAXG): pareada ao ouro; 

 

Abra sua conta na Braziliex e negocie as stablecoins mais utilizadas no mundo!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.