Altcoins: conheça outras opções além do Bitcoin!

Veja quais são as características das Altcoins e conheça as principais vantagens e desvantagens de cada moeda alternativa ao Bitcoin!

0 271

As criptomoedas vieram para ficar. Não é de hoje que os ativos digitais fazem sucesso e conquistam milhares de investidores ao redor do mundo. Desde a criação do Bitcoin, em meados de 2009, as moedas virtuais apresentam um crescimento positivo no mercado, marcando seu lugar como uma forma de investimento seguro para além das alternativas tradicionais.

 

Criptoativos são moedas eletrônicas que utilizam da criptografia para garantir a segurança de suas transações, por meio de sistemas de controle descentralizados ou centralizados. Ou seja, eles são ativos financeiros que só existem no universo digital.

 

Atualmente, a criptomoeda mais popular do mundo é o Bitcoin, precursor das moedas digitais. No entanto, ele não é o único – há uma categoria de criptos chamadas Altcoins, que representa as moedas alternativas no mercado, como é o caso da Ripple, do Ethereum, da Dash ou de tantas outras. Assim, embora muitos só conheçam o clássico Bitcoin, é importante ressaltar que existem diversas outras opções no mundo financeiro, tão seguras e rentáveis quanto o ativo primogênito.

 

Da mesma forma como o Bitcoin, a cotação de algumas Altcoins é definida pelo mercado financeiro, com oscilações e valorizações, que fazem os ativos serem oportunidades de investimentos tão boas – e lucrativas – quanto o Bitcoin. O investimento nesse tipo de criptomoeda alternativa é uma boa forma de aumentar o portfólio e alcançar a diversidade de capital, crucial para momentos de crise.

 

As Altcoins compõem um  grupo vasto de ativos criptografados e, para quem pensa em investir, conhecê-las é fundamental. Ficou curioso? Veja quais são as principais Altcoins disponíveis no mercado e entenda como cada uma delas funciona ao longo deste artigo.

 

 

O que são Altcoins?

 

Altcoins: conheça outras opções além do Bitcoin
Altcoins: conheça outras opções além do Bitcoin

 

Altcoins são todas as criptomoedas alternativas ao Bitcoin – que, hoje em dia, é a mais popular e reconhecida no universo financeiro. Logo, a categoria representa todos os outros ativos financeiros criptografados existentes no mercado, englobando desde os menores até os maiores, que ficam lado a lado com a moeda originária que deu início a cadeia de blockchain.

 

A ideia do Bitcoin foi divulgada pela primeira vez através de um white paper em 31 de outubro de 2008. Contudo, foi somente em meados de 2009 que a criptomoeda foi lançada, pelo pseudônimo de Satoshi Nakamoto. Até hoje não se sabe quem foi a pessoa ou grupo responsável pela criação do Bitcoin, porém, é possível afirmar que o desenvolvimento da tecnologia do blockchain, atrelado ao Bitcoin, levou a uma revolução no universo digital monetário.

 

Sendo assim, desde o lançamento da primeira criptomoeda, programadores e pesquisadores colocam em prática projetos que visam “solucionar” os problemas do Bitcoin, como a demora das transações e sua quantidade limitada de moedas.

 

Em 2011, em decorrência de uma ruptura na cadeia do Bitcoin, então, a primeira Altcoin surgiu. Com o nome de Namecoin, a nova moeda era baseada no código do ativo primário e podia ser utilizada como forma de pagamento no universo digital.

 

Com isso, o cenário de crescimento dos criptoativos alavancou, abrindo portas para uma maior diversidade de moedas dentro do mercado financeiro, oferecendo aos investidores mais opções na hora de investir e conservar seu capital.

 

Logo, devido às raízes que ligam os Altcoins ao Bitcoin, as semelhanças entre as criptomoedas podem ser muitas – embora cada uma apresente suas peculiaridades. Por exemplo, ambas as categorias de moedas fazem parte de um sistema disruptivo, que quebra com o modelo tradicional dos ativos financeiros até então limitados às moedas centralizadas e com unidades físicas.

 

 

Emissão de Altcoins

Para que circulem de forma legalizada, todas as moedas precisam passar por um processo de registro, verificação e validade. Quando se trata de ativos centralizados, a operação é feita por governo e bancos, que realizam a regularização de modo a controlar e evitar que haja falsificação de notas e moedas, assim como crimes monetários.

 

No entanto, com os ativos descentralizados e virtuais, ou seja, as criptomoedas, o processo é diferente. A mineração é uma forma de registrar as transações em livros públicos, de forma a garantir o balanço de todos os pagamentos e recebimentos, além da emissão de novos criptos. Ela é responsável por manter o saldo atualizado de moedas em cada uma das carteiras virtuais.

 

A mineração surgiu com o Bitcoin e foi adaptada pelas moedas que vieram em seguida, a fim de identificar cada processo de registro e emissão dos ativos financeiros eletrônicos.

 

Agora que você já sabe o que são Altcoins e como a sua emissão é realizada, conheça as melhores opções e os projetos mais consolidados de moedas alternativas para investir.

 

 

Melhores opções de Altcoins

Existem mais de 2 mil Altcoins circulando no mercado hoje em dia, contudo, alguns deles são mais conhecidos e oferecem alternativas de investimento seguras e lucrativas para quem deseja investir em criptomoedas, mas não deseja se limitar ao tradicional Bitcoin.

 

A cotação das Altcoins é dada através da multiplicação do número de moedas em circulação, do preço atual do ativo em questão e com base no valor de mercado. Assim, as moedas são ranqueadas de acordo com sua capitalização e volumes de negociação em todo o mundo.

 

Uma ferramenta muito indicada para acompanhar a cotação das Altcoins em tempo real é o CoinMarketCap. Por essa ferramenta é possível verificar volumes negociados, dados de capitalização e ranking das moedas.

 

Veja quais são os principais Altcoins da atualidade:

 

 

Ethereum (ETH)

Altcoins: logotipo do Ethereum
Altcoins: logotipo do Ethereum

Ao lado do Bitcoin no topo da lista das criptomoedas mais populares do mundo, a Ethereum vai muito além de questões financeiras. A plataforma Ethereum usa da tecnologia blockchain para proporcionar um ambiente open source, direcionado para a criação e propagação de aplicações descentralizadas – sistemas financeiros, sociais, jogos, etc.

 

Dentro da plataforma, utiliza-se a moeda Ether (ETH) que, por sua vez, possui um alto nível de capitalização no mercado, sendo a segunda criptomoeda mais negociada.

 

Com uma grande valorização no mercado e alto nível de crescimento, o Ether é uma Altcoin de renome que oferece opções de investimento positivas para quem busca maior diversidade na carteira.

 

Vantagens: o Ethereum possui uma estrutura de rede bastante confiável por utilizar a tecnologia de blockchain como base. Assim, seu sistema é inteiramente descentralizado e, até hoje, não apresenta falhas – ele está sempre disponível e online. Além disso, há uma grande valorização da moeda no mercado e seu investimento pode ser muito lucrativo.

 

Desvantagens: por possuir uma rede ampla por trás da moeda, a escalabilidade da blockchain Ethereum é problemática, principalmente em comparação ao Bitcoin.

 

Onde comprar e vender Ethereum: em corretoras de criptomoedas, como a Braziliex.

 

 

Dash (DASH)

Altcoins: logotipo da Dash
Altcoins: logotipo da Dash

Uma moeda descentralizada, criada em 2014, a Dash surgiu por meio de uma divisão da rede Bitcoin (processo conhecido como Hard-fork). Seu foco está na possibilidade de realizar transações mais rapidamente e de forma semi-privada.

 

O projeto da Dash foi desenvolvido a fim de corrigir as falhas do Bitcoin, otimizando questões como privacidade, velocidade de transação e governança. A estrutura da criptomoeda é feita em duas camadas: blockchain tradicional e Masternode, que possibilitam às transações serem feitas em instantes.

 

Vantagens: a principal vantagem do Dash é a velocidade e as baixas taxas de transação. A moeda promete facilidade na hora de movimentar o capital e cobranças mínimas. Além disso, é possível enviar qualquer quantia por menos de US$ 0,2 em uma média de quatro segundos.

 

Desvantagens: o Dash não é tão aceitável quanto as moedas tradicionais, por isso sua capitalização não é tão simples.

 

 

Ripple (XRP)

Altcoins: logotipo da Ripple
Altcoins: logotipo da Ripple

Ocupando o terceiro lugar entre as moedas de maior capitalização, o criptoativo Ripple (XRP) é um cripto centralizado, controlado pela Ripple Labs, que trabalha com transações globais de dinheiro. 

 

A moeda surgiu com o propósito de facilitar a transação de dinheiro entre países, de modo a financiar taxas entre instituições financeiras.

 

O diferencial está no fato de que o Ripple pode ser usado como uma “moeda ponte”. Além disso, o ativo também é bem escalável e ágil, no que diz respeito a transações – ele suporta até 50 mil transações por segundo.

 

Vantagens: a principal vantagem do XRP é a velocidade de transação. Enquanto o Bitcoin possui um tempo de transferência de cerca de 25 minutos, a moeda da Ripple pode ser enviada em apenas 4 segundos. O valor das transações também é baixo em relação às demais moedas e, tendo em vista a dificuldade de transação entre países, o XRP é uma boa opção para quem deseja negociar no exterior, de forma rápida e segura.

 

Desvantagens: por pertencer ao Ripple Labs, o XRP é uma moeda centralizada, ou seja, que possui emissão feita por uma instituição ou órgão de controle. Sendo assim, suas operações e valores não dependem única e exclusivamente do mercado, mas sim da empresa responsável.

 

 

Litecoin (LTC)

Altcoins: logotipo do Litecoin
Altcoins: logotipo do Litecoin

O Litecoin não foi desenvolvido com o intuito de competir com o Bitcoin, mas sim para representar uma segunda linha da moeda. Com uma circulação maior, que visa conter a escassez do ativo e, também, preços muito altos, a moeda é mais acessível e sua mineração pode ser feita até mesmo por meio de computadores mais simples.

 

As transferências do Litecoin são rápidas e, no mercado, há facilidade quanto a conversão da criptomoeda – sua liquidez é bem maior do que as demais Altcoins.

 

Vantagens: o Litecoin é, acima de tudo, acessível. Sua fácil mineração e valores acessíveis no mercado faz os ativos serem interessantes para quem deseja investir. Além disso, a liquidez da moeda é alta e convertê-la em dinheiro físico pode ser bem fácil. A transação do ativo também é simples e não exige muita burocracia, como outras moedas.

 

Desvantagens: embora possua algumas facilidades, a criptomoeda é volátil e pode desvalorizar em pouquíssimo tempo. Costuma apresentar recuperação lenta após um período de muita oscilação de preços.

 

 

Tether (USDT)

Altcoins: logotipo do Tether
Altcoins: logotipo do Tether

O Tether foi criado em 2014 focando a paridade com o dólar norte-americano. Dessa forma, sua proposta é inteiramente diferente das tradicionais Altcoins. A criptomoeda prevê que para cada Tether emitido, haverá um dólar equivalente.

 

No mercado existem mais de 4 bilhões de Tether em circulação e, em decorrência de sua estabilidade, a moeda é bastante usada como opção de transferência entre sistemas.

 

Vantagens: em decorrência da paridade do Tether com o dólar, a Altcoin é conhecida por sua estabilidade no mundo digital. Sendo assim, o ativo facilita a transação de fundos entre exchanges que aceitem o token, trazendo mais liquidez ao mercado.

 

Desvantagens: especialistas apontam que a falta de uma auditoria externa afeta a transparência do Tether e traz incertezas ao mercado. Recentemente, notícias de manipulação quanto aos preços das criptomoedas com a utilização do Tether ganharam a mídia internacional, criando certo receio quanto a seguridade do ativo. No entanto, não existem evidências de fraudes e corrupção comprovadas em relação à moeda.

 

 

Bitcoin Cash (BCH)

Altcoins: logotipo do BitcoinCash
Altcoins: logotipo do BitcoinCash

Das Altcoins, o Bitcoin Cash é o mais emergente. A moeda foi criada ainda em 2017 através de uma divisão do Bitcoin original, devido a discussões dentro da comunidade de criptomoedas a respeito das altas taxas e demora no processamento.

 

Assim, a nova versão do criptoativo foi desenvolvida para solucionar as problemáticas apontadas no Bitcoin, otimizando o tamanho dos blocos e a capacidade de transações – além do valor das taxas e da velocidade das confirmações, estabilizando o ativo.

 

Vantagens: diferente do Bitcoin tradicional, o Bitcoin Cash possui um maior limite de tamanho de bloco, com um total de 8 MB. Com isso, um número maior de transações pode ser processado, consequentemente, acarretando taxas mais baratas.

 

Desvantagens: o Bitcoin Cash é um Altcoin altamente centralizado, com cerca de 3 pools de mineração que somam mais de 51%. Logo, o cenário não é tão positivo para investidores, pois o futuro da moeda depende, fortemente, dos pools.

 

 

Bitcoin ou Altcoin?

Embora o Bitcoin seja, de fato, a criptomoeda mais popular do mundo, isso não significa que ela é a única possível para obter lucros. Existem Altcoins tão rentáveis quanto o ativo primogênito, que são seguros e ajudam investidores a diversificarem suas carteiras.

 

Logo, na hora de comprar criptomoedas, não há porque se limitar a somente um tipo de moeda – como muitos fazem com o Bitcoin. É possível investir de maneira segura em Altcoins e lucrar com isso.

 

 

Como investir nas Altcoins com segurança?

A melhor forma de investir em Altcoin e Bitcoin é através das exchanges, empresas especializadas na negociação de criptomoedas, que se responsabilizam pelas transações de compra e venda, garantindo total segurança para as movimentações dos usuários.

 

Com as exchanges, o investimento em Altcoins é ainda mais fácil. Por isso, conheça os serviços oferecidos pela Braziliex, a corretora brasileira com o maior portfólio de Altcoins disponíveis para negociação com Reais (R$). Crie a sua conta e comece já a investir!

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.