Smart Contracts: aprenda o que são e como funcionam

Smart Contracts utilizam a tecnologia Blockchain para assegurar o cumprimento de um acordo firmado. Entenda como funciona um contrato firmado com o uso da rede!

0 64

Com o crescimento das criptomoedas, muitas mudanças ocorreram no mercado financeiro. Essa ascensão promoveu o desenvolvimento e aperfeiçoamento de tecnologias destinadas a este mercado. Os Smart Contracts (contratos inteligentes), são uma dessas tecnologias.

 

Com diversas funcionalidades, os Smart Contracts podem ser utilizados em muitos tipos de negociações diferentes, que envolvem desde dinheiro, informações ou até mesmo propriedades.

 

Quer aprender mais sobre os Smart Contracts? Continue lendo até o final para entender o que são e como funcionam.

 

 

O que são Smart Contracts (contratos inteligentes)? 

Os Smart Contracts, ou “contratos inteligentes” em português, são contratos digitais auto executáveis que, por sua vez, utilizam uma tecnologia específica para assegurar o cumprimento do acordo firmado.

 

Os Smart Contracts funcionam da mesma forma que um contrato físico, porém, são realizados digitalmente e construídos a partir de códigos de programação que determinam regras e consequências caso alguma das partes descumpra o acordo formalizado.

 

A principal diferença entre um Smart Contract e os contratos tradicionais, aos quais estamos mais habituados, é que o primeiro não pode ser perdido ou modificado. Além disso, ele é auto executado, o que assegura a realização do acordo firmado através da tecnologia Blockchain.

 

Sendo assim, a finalidade dos Smart Contracts é tornar automático o cumprimento das exigências e termos do documento. Permite, ainda, que todos os procedimentos do contrato sejam acompanhados, proporcionando um controle maior das partes, através da definição de lembretes, avaliação do vencimento e realização de pesquisas usando inteligência artificial.

 

Como funcionam através de códigos de programação, é fundamental que os termos sejam escritos de forma clara ao criar um Smart Contract, desse modo, o sistema terá maior facilidade para traduzir as recomendações.

 

E é justamente por ser feito no meio digital que os Smart Contracts são tão inovadores, pois permitem às pessoas fazerem negócios com desconhecidos de forma segura e sem a obrigação de um intermediário, isso porque através de redes contábeis descentralizadas, os acordos podem ser feitos sem envolver instituições bancárias e jurídicas.

 

As partes possuem mais liberdade e agilidade, evitando assim passar por burocracias e custos associados.

 

O fato dos Smart Contracts serem inalteráveis e assegurarem o cumprimento das exigências pelas partes envolvidas, faz esse tipo de contrato ser tão utilizado para acordos de Bitcoin.

 

 

Leia também: Mineração ou Hold: dicas para ganhar dinheiro com Bitcoin

 

 

Como funcionam os Smart Contracts para Bitcoins?

Como citamos anteriormente, os Smart Contracts são realizados através de algoritmos projetados em tecnologia Blockchain, que garante a preservação e segurança do processo.

 

Antes do contrato ser emitido, os termos e consequências são premeditados. Os negociadores fecham e firmam o acordo em um clique. Imediatamente, as exigências são ativadas, tornando mais prático o acompanhamento e a cobrança. A autenticação das exigências é realizada pela tecnologia Blockchain, que observa os dados partilhados e autoriza a comunicação direta e criptografada.

 

Uma vez que não há como modificar os Smart Contracts, o administrador precisa criar um novo documento se qualquer alteração necessitar ser realizada.

 

Além disso, um contrato inteligente deve ter três princípios importantes: a observabilidade, verificabilidade e privacidade.

 

Basicamente, este tipo de contrato cumpre os seguintes passos:

 

  1. As partes desejam fazer alguma negociação; 
  2. Os contratos são feitos na cadeia de blocos da Blockhain e cada um é compartilhado com a rede de participantes – os nós; 
  3. Esses participantes avaliam a transação e, se houver concordância da maioria, a operação é verificada; 
  4. Cada bloco apurado possui um algoritmo criptografado que gera uma rede de registros para impedir a falsificação;
  5. Quando o previsto no documento é realizado, o código se auto executa.

 

Quais são as vantagens?

Ao longo do texto, já introduzimos algumas vantagens que os Smart Contracts disponibilizam aos negociadores, mas vale ressaltar algumas que tornam esse tipo de contrato muito benéfico.

 

A precisão é uma das suas grandes vantagens. O conteúdo do documento é explícito e escrito de maneira clara, evitando interpretações equivocadas e falhas de transação. Isso traz uma maior confiança entre os negociadores.

 

Visto que o contrato é acordado na Blockchain, o acesso e a revisão são facilitados, podendo ser feitos a qualquer momento pelos participantes da rede. Essa transparência evita futuras contestações.

 

Ainda, esses contratos são executados automaticamente assim que os termos são realizados, dessa forma, o tempo gasto na negociação será menor do que o de uma negociação comum.

 

A segurança desse processo também é extremamente avançada, pois contam com a tecnologia Blockchain. Com isso, fraudes e modificações não autorizadas são evitadas.

 

Além de tudo, os Smart Contracts são bastante eficientes, visto que não possui intermediação com outras instituições, reduzindo drasticamente a burocracia e tornando a execução do contrato mais rápida e nada burocrática.

 

 

Como são aplicados, na prática, os Smart Contracts?

Agora que você já viu o que são, as vantagens e como funcionam os Smart Contracts, é importante entender em quais situações é possível aplicá-los, na prática. Veja a seguir:

 

  1. Os contratos de seguro são uma das aplicações do contrato inteligente, pois requerem um conjunto de informações que possibilite saber o fator de risco, além de um sistema que permita a imediata indenização após um sinistro.
  2. A indústria fonográfica também utiliza os Smart Contracts em blockchain, assim, o pagamento dos direitos autorais sempre que a obra for utilizada para finalidades comerciais é garantida.
  3. Na indústria automobilística, as informações acerca das manutenções dos automóveis e os históricos de acidentes podem ser armazenados em Smart Contracts. Com isso, as companhias de seguro podem cobrar apólices segundo o perfil do condutor.
  4. O setor imobiliário, principalmente quando as operações envolvem grandes valores, também utiliza Smart Contracts, pois dá às partes maior segurança para que todos os termos sejam cumpridos.
  5. Com este tipo de contrato, é possível ainda que o setor de vendas online tenha uma segurança maior ao realizar transações digitais com pessoas desconhecidas.
  6. Por incrível que pareça, há como aplicar os Smart Contracts também em eleições, para que os resultados sejam registrados na Blockhain e compartilhados com os participantes da rede. Com isso, os dados e a votação não poderão ser modificados.
  7. Por fim,  há a aplicação em propriedades inteligentes. Os métodos de criptografia permitem apenas que o dono do token digital as comercialize. Com esse contrato, é possível rastrear e manter os tokens, impedindo as fraudes. 

 

Para criar Smart Contracts, é preciso usar uma plataforma descentralizada para que o documento seja colocado na Blockhain e enviado para os outros participantes da rede. A plataforma descentralizada Ethereum é a mais utilizada atualmente para gerar contratos inteligentes.

 

Como vimos, há diversas maneiras em que podemos usar os Smart Contracts. Esse tipo de contrato possui um grande potencial de inovar diversos setores, como já tem feito no mercado das criptomoedas.

 

Compre Ethereum na Braziliex e crie Smart Contracts na Blockchain!

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.