Descubra como entrar no mercado de Bitcoin com pouco dinheiro

Veja como investir no mercado de Bitcoin com pouco dinheiro e com a possibilidade de bons rendimentos. Saiba como iniciar suas negociações de Bitcoin!

0 54

Para quem deseja começar a investir, o mercado de Bitcoin parece uma oportunidade interessante. Com certa estabilidade e possibilidade de retornos rápidos, investir nas criptomoedas já virou uma tendência, que se comprova bastante proveitosa no cenário atual. 

 

Contudo, muitas dúvidas ainda seguram novos investidores, que não sabem por onde começar na hora de comprar criptomoedas. O mercado de Bitcoin e as suas negociações são capazes de render muitos lucros para os investidores e por isso há uma falsa concepção de que para entrar nesse mundo de negociações, é preciso ter dinheiro e estar disposto a apostar bastante a fim de conseguir resultados.

 

Mas, na verdade, as coisas não são bem assim. O mercado de Bitcoin é muito receptivo e permite que investidores com pouco dinheiro possam investir na criptomoeda, cada uma à sua maneira. Logo, não importa se você tem R$ 10.000 ou apenas R$ 50 na carteira, todo mundo pode entrar no universo das criptomoedas.

 

O que varia, nesse caso, é a forma de retorno e a estratégia que será aplicada. Assim, pessoas que tendem a investir mais, adotam táticas mais agressivas, enquanto investimentos de baixo custo configuram estratégias conservadoras e a médio e longo prazo.

 

A questão é: é possível sim entrar no mercado de Bitcoin com pouco dinheiro e ainda lucrar com isso! Quer saber como? Então continue a leitura!

 

 

O que é o Bitcoin?

 

O primeiro passo para entender como investir no mercado de Bitcoin com pouco dinheiro é saber o que é Bitcoin e como ela funciona no cenário econômico. 

 

O Bitcoin foi criado em meados de 2008, pelo pseudônimo Satoshi Nakamoto, o qual ninguém ainda sabe a verdadeira identidade. A tecnologia surgiu como algo inovador para a época e aos poucos foi crescendo, até alcançar o seu boom e ganhar o mundo. 

 

Pode-se dizer que o Bitcoin foi a primeira criptomoeda desenvolvida que, realmente, foi bem sucedida, dando início à nova tendência desse mercado de negociações digitais. Dessa forma, o Bitcoin se consagrou no mercado.

 

Em linhas gerais, o Bitcoin é uma moeda descentralizada e inteiramente virtual, ou seja, ela não pertence a nenhum banco ou instituição e não possui uma unidade física, como as moedas que estamos acostumados. 

 

Sua emissão é feita por meio de mineração de cadeias de bloco (conhecida por Blockchain) e, por isso, há poucas moedas novas circulando no mercado, o que faz com que o Bitcoin seja ainda mais valorizado, pois há uma quantidade limite de moedas que pode ser emitida – ao total, serão 21 milhões de Bitcoins existentes. Nada mais que essa quantidade.

 

Graças às suas características, portanto, o Bitcoin é uma moeda muito segura, que não necessita da supervisão de autoridades para ser gerenciada e negociada – quem controla o seu funcionamento são as cadeias de blockchain, alimentadas por bons maquinários.

 

Logo, não é possível criar mais Bitcoin no mundo, sua quantidade limite que será emitida é de 21.000.000 BTC e a previsão para que cheguemos a esse número é somente para o ano de 2140.

 

Em suma, o Bitcoin é uma moeda que não possui vínculo com qualquer banco ou organização, funcionando por conta própria. Nesse sentido, os ativos são emitidos por meio de mineração e os seus dados são protegidos pela tecnologia de blockchain. Como investir no mercado de Bitcoin?

 

 

Como o mercado de Bitcoin funciona?

 

A principal premissa do mercado de Bitcoin é a seguinte: quanto mais moedas em circulação tentando ser vendidas, menor será a sua valorização, pois há uma oferta muito grande. Por outro lado, quando há muita procura por moedas e poucas delas sendo comercializadas, maior é sua valorização.

 

Essa é, basicamente, a lei da oferta e demanda.

 

Dessa forma, você opta sempre por comprar em períodos de baixa e vender em momentos de alta, a fim de lucrar com a diferença de preços entre a sua compra e venda.

 

Contudo, a volatilidade da moeda é alta e existem diversos aspectos que influenciam a sua cotação, para além da oferta e da demanda. Por isso, é preciso ficar atento ao cenário econômico antes de realizar negociações.

 

 

Como participar do mercado de Bitcoin com pouco dinheiro?

 

Como negociar no mercado de Bitcoin com poucos recursos?
Como negociar no mercado de Bitcoin com poucos recursos?

 

Há uma crença de que para começar a investir, em qualquer tipo de ação ou moeda, é preciso ter muito dinheiro. Mas isso não é inteiramente verdade, principalmente no que diz respeito ao mercado de Bitcoin.

 

O mundo das criptomoedas é bem receptivo e aberto para novos investidores, há centenas de ativos para investir e milhares de corretoras – as famosas exchanges – com as quais você pode contar. Assim, fazer seus investimentos fica fácil. Mas, então, como entrar nesse mundo mesmo com pouco dinheiro? 

 

É simples: no mercado de Bitcoin é possível comprar fragmentos, pequenas frações da moeda, que equivalem à quantidade que você tem disponível em dinheiro. Logo, não é necessário comprar um Bitcoin inteiro para lucrar com a aplicação. 

 

O Bitcoin é organizado por 1 numero inteiro seguido de 8 casas decimais. Dessa forma, não é necessário comprar 1 Bitcoin inteiro, pois a sua fração permite que você compre uma pequena quantidade. Por exemplo: temos uma quantidade inteira de Bitcoin de 13.00086315 BTC. Dessa quantidade de Bitcoin, você poderia comprar não os 13 inteiros, mas a sua fração após o ‘ponto’: 0.00086315 BTC. Essa quantidade, convertida para a data de publicação desse texto, equivale a R$ 43,50 (já que a cotação do Bitcoin está em um preço médio de R$ 50.400,00 em 23/06/2020).

 

É possível utilizar uma exchange e negociar a compra de apenas 10% de um Bitcoin, por exemplo. Ou, então, investir a partir de R$ 20 nas moedas. 

 

O valor do Bitcoin é muito alto – e variável. Dessa forma, adquirir uma unidade inteira pode acabar saindo caro. Afinal, o ativo já chegou a custar quase U$ 20.000, o que, convertendo em reais, soma mais de R$ 100.000 (considerando a cotação do dólar em 23/06/2020) – e são poucas as pessoas que podem investir essa quantidade, portanto, comprar partes de Bitcoin é uma prática comum. 

 

O ponto é que muitas pessoas que ficaram milionárias com o mercado de Bitcoin investiram, inicialmente, pouco dinheiro e ao longo dos anos foram adquirindo mais e mais patrimônio. 

 

Em 2009, por exemplo, o Bitcoin custava apenas U$ 0,03, o que corresponde a R$ 0,15. Logo, quem investiu nessa época conseguiu comprar cerca de 333 Bitcoins e, hoje em dia, isso somaria mais de 11 milhões de reais. 

 

Esse é o segredo: você deve comprar sempre na baixa para vender na alta, pois o Bitcoin respeita a lei da oferta e da procura.

 

Portanto, é possível sim entrar no mercado de Bitcoin com pouco dinheiro. Comprando somente parte da moeda você consegue somar certo patrimônio, que pode ser vendido em momentos de valorização da moeda. 

 

No entanto, para isso, é preciso conhecer o mercado e compreender como funciona a cotação do Bitcoin, sabendo determinar, então, os melhores momentos para comprar e vender. 

 

 

Mas, afinal, entrar no mercado de Bitcoin com pouco dinheiro é uma boa ideia?

 

Qualquer um pode começar a investir no mercado de Bitcoin, mesmo que o valor disponível para o investimento seja pouco. Contudo, fazer isso é, de fato, uma boa ideia?

 

Há muitos questionamentos acerca dessa questão, as pessoas pensam que para lucrar com as criptomoedas é necessário investir uma quantidade absurda de dinheiro. No entanto, não é bem assim. Na verdade, o que muda nesse sentido é a velocidade do retorno sobre o investimento.

 

Se existe um mercado onde vale a pena investir com pouco é o das criptomoedas. Graças à volatilidade desse cenário, as moedas sofrem com altas muito fortes e quedas fáceis ao longo de determinados períodos, dessa forma, as chances de lucrar são grandes.

 

No mercado de Bitcoin, as moedas podem subir 50% em um dia e até mesmo 500% em um ano. Com isso, a possibilidade de obter rendimentos altos é enorme. O que o investidor deve saber é que, da mesma forma que o Bitcoin pode valorizar 50% em um dia, a mesma volatilidade proporciona um cenário onde também é possível desvalorizar 50% ao dia. Nesse cenário caótico, vale orientar que, o investidor que tiver Bitcoin em um momento de desvalorização, poderá guardar suas moedas para voltar às negociações no futuro, quanto o preço da moeda voltar ao patamar de preços antes de sua desvalorização.

 

Portanto, mesmo se você tiver pouco dinheiro, ainda é possível conseguir resultados positivos dentro do mercado de Bitcoin. Uma baixa quantia investida significa uma menor fração da moeda, onde há um investimento mais conservador que acarreta, por fim, em lucros mais lentos em comparação às aplicações altas. Tendo isso em vista, os riscos são mais baixos.

 

 

Vantagens e desvantagens de investir no mercado de Bitcoin com pouco dinheiro

 

Assim como qualquer tipo de investimento, há vantagens e desvantagens de investir no mercado de Bitcoin, principalmente quando se entra com pouco dinheiro. Um investimento de baixo orçamento configura uma ação mais conservadora, que visa preservar o indivíduo, evitando riscos muito altos e a perda de rendimentos. 

 

Por outro lado, isso também quer dizer que os lucros virão de forma mais lenta, então, é preciso ter um pouco mais de paciência. 

 

Veja alguns pontos positivos e negativos de entrar no mercado de Bitcoin com pouco dinheiro:

 

 

Vantagens

O mercado de Bitcoin é acessível para vários tipos de pessoas, que desejam aplicar o seu dinheiro em opções lucrativas a fim de somar patrimônio ou para aquelas que buscam investimentos de rendimento rápido. 

 

Assim, qualquer um pode entrar nesse cenário – e tudo vai depender do seu perfil de investimento, seja ele mais agressivo ou conservador. 

 

Aqueles que investem pequenas quantias, por exemplo, são classificados como conservadores e para esse tipo de aplicação a vantagem é poder contar com um negócio de baixo risco, onde as chances de perder o dinheiro aplicado são baixas.

 

A possibilidade menor de sofrer com riscos é a maior vantagem para quem entra no mercado de Bitcoin com pouco dinheiro. Devido à volatilidade da cotação da moeda, mesmo com pouco investimento é possível lucrar nos períodos de valorização do ativo e também se precaver de perdas. 

 

Basicamente, se você não tem muito dinheiro aplicado, não há muito o que perder. 

 

 

Desvantagens

Por outro lado, enquanto os riscos são menores, o retorno é mais lento – e essa é a principal desmotivação daqueles que começaram investindo pouco. 

 

A estratégia de iniciar as atividades no mercado de ações com um baixo investimento é mais indicada para quem busca opções a longo prazo, para que no futuro o dinheiro aplicado renda, pois não há retorno imediato. Isso, por sua vez, pode ser uma grande desmotivação para os novos negociadores.

 

Investir pouco dinheiro significa que será necessário mais tempo – e paciência – para obter resultados razoáveis, devido ao fato da quantia aplicada ser menor. Por exemplo, quem investiu no Bitcoin logo no início, conseguiu colher os benefícios do ativo a longo prazo, quando a moeda sofreu seu boom em 2017. 

 

A mesma coisa acontece com quem investe pouco: é preciso ter paciência e esperar o momento certo para liquidar a parte adquirida da criptomoeda, pensando em vendê-la no período de maior valorização, para somar mais lucros em cima da aplicação.

 

 

O mercado de Bitcoin

 

Para que qualquer pessoa tenha sucesso no mercado de Bitcoin, um ponto é crucial: saber analisar o mercado. Quando se estuda e conhece a fundo o mercado financeiro em que a criptomoeda está inserida, é muito mais fácil pensar em quais ações deverão ser tomadas a fim de gerar lucro. 

 

Assim, é preciso acompanhar sempre o mundo financeiro e a cotação da moeda, visando compreender quais são os aspectos que promovem a alta do Bitcoin e quais são os fatores que levam o ativo à baixa. 

 

A lei da oferta e da demanda é um dos pontos decisivos para definir a cotação do Bitcoin, por exemplo. Porque, como você já pôde ver, a moeda tem seus períodos de alta quando a demanda é superior à oferta e de baixa quando a oferta se sobressai em relação à procura. 

 

Dessa forma, quanto mais pessoas tendem a comprar o Bitcoin e menos estão dispostas a vender, há uma valorização do criptoativo. Caso contrário, configura-se a desvalorização. 

 

No entanto, não é só isso que determinada a cotação da moeda, aspectos como: 

 

  • O cenário político do momento;
  • O valor do dólar;
  • Problemas técnicos que afetam a segurança das trocas;
  • E o mercado financeiro, no geral;

Também são fundamentais para a classificação da moeda no cenário mundial. 

 

 

Onde comprar Bitcoin?

 

Muitos novos investidores vivem com esse questionamento: onde é possível comprar Bitcoin mesmo com pouco dinheiro?

 

A melhor forma de começar a investir nesse mercado é junto às corretoras de criptomoedas, ou exchanges. Elas agem como mediadoras de negociações e garantem trocas seguras, que tragam vantagem para ambas as partes (para quem vende e para quem compra). 

 

Dessa forma, a melhor maneira de investir é por meio das exchanges. Todavia, como encontrá-las?

 

No Brasil, existem diversas opções, contudo, uma das mais confiáveis e consolidadas no mercado é a Braziliex, que oferece o máximo de segurança e agilidade na hora de realizar operações de compra e venda de Bitcoin.

 

Por isso, se você está em busca de uma corretora de criptomoedas que ofereça suporte e ferramentas ideais para as suas negociações, venha investir com a Braziliex e faça o seu dinheiro render na compra e venda de Bitcoin e muitos outros criptoativos.

 

Acesse: braziliex.com

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.