Bitcoin pode substituir cartão de crédito no futuro!

Bitcoin x cartão de crédito: avaliamos alguns pontos fortes do Bitcoin, que o levam a ser uma possível substituição aos atuais métodos de pagamento

0 184

Bitcoin x cartão de crédito

 

Quando o assunto são criptomoedas, o Bitcoin logo surge em nossas cabeças. Afinal, o ativo é muito popular e, com sua alta no ano de 2017, a moeda se tornou uma opção de investimento para diversos investidores.

 

E isso não é à toa. A crescente evolução do Bitcoin fez com que a criptomoeda entrasse no radar daqueles que investem no mercado econômico, principalmente, no cenário digital. Em 2019, o valor do Bitcoin ultrapassou U$ 13.000, encerrando o ano com uma valorização surpreendente no mercado, de 95,62%. 

 

Portanto, os resultados do Bitcoin nos últimos anos surpreendem – e não somente os investidores. A criptomoeda está se tornando cada vez mais popular no mundo todo, entre investidores da bolsa e profissionais da economia, sendo adotada, inclusive, por alguns países como solução de pagamento.

 

A febre do Bitcoin veio para ficar, e apesar de ter tido um começo um tanto quanto morno, o criptoativo sofreu um boom que o colocou nos radares mundiais. Com essa tendência, a criptomoeda vem ganhando o seu lugar fora das bolsas de investimento, fazendo, então, parte do dia a dia de algumas pessoas. 

 

Com ferramentas que auxiliam este processo de popularização e facilitação do uso de Bitcoin, hoje em dia é possível adotar as moeda eletrônica como forma de pagamento no nosso cotidiano, através de aplicativos e sites que intermedeiam o processo. 

 

Assim, fica mais fácil enxergar – e utilizar – a moeda não só como um simples investimento, mas também como uma maneira de monetização. 

Com a tecnologia e a praticidade, a utilização de criptoativos no dia a dia ficou ainda mais fácil. Para se ter uma ideia, existem até mesmo aplicativos que permitem o pagamento de contas com Bitcoin, calculadoras que auxiliam na conversão e muito mais.

 

Essa tendência é cada vez mais comum e parece ideal para quem converte sua renda em criptomoedas. O Bitcoin pode, inclusive, chegar a substituir o seu cartão de crédito! Quer saber como isso é possível? Bom, então continue lendo este artigo e entenda como a evolução do Bitcoin pode mudar a forma com que lidamos com o dinheiro. Confira!

 

A evolução do Bitcoin 

 

O caminho do Bitcoin não começou agora, muito pelo contrário. A moeda está, desde 2009, tentando ganhar seu lugar no mercado econômico e, embora os primeiros passos tenham sido dados de forma sutil, hoje em dia ela é uma das mais reconhecidas e valorizadas do mundo.

Com o halving recente – uma espécie de “esquenta” que fez a moeda subir nos últimos anos –, o Bitcoin conseguiu um lugar de destaque no mercado econômico, fechando com uma das melhores valorizações do período. 

 

Trajetória do Bitcoin até os dias atuais

Em seu momento inicial, em meados de 2009, 1 Bitcoin valia cerca de U$ 0,003. Por ser a primeira criptomoeda no mercado, seu potencial ainda não era visto, sendo uma tendência um tanto quanto futurista para a época. 

No entanto, seu criador, Satoshi Nakamoto, não desistiu e desenvolveu o criptoativo até que ele ganhasse destaque no mercado mundial. 

 

Em sua fase de desenvolvimento, ali por volta de 2011, 1 Bitcoin chegou a valer cerca de 1 dólar. Mais para frente, em 2013, o mercado passou a aceitar melhor essa nova tendência e os Bitcoins eram comercializados por U$ 250. 

 

Sendo assim, a cada ano que passou, desde sua criação, o Bitcoin cresceu um pouco mais – mesmo em seus períodos de baixas, a moeda ganhava investidores. 

Em 2019, após uma queda no ano anterior, o Bitcoin alcançou valores impressionantes: a criptomoeda, que um dia já custou menos de um centavo, passou a valer quase U$ 14 mil no mercado. 

 

A evolução do Bitcoin aconteceu de forma sutil até chegar ao momento em que estamos hoje, com a valorização das criptomoedas e um cenário cada vez mais favorável para o uso dos criptoativos. 

Nesse sentido, atualmente a moeda não é mais utilizada somente por investidores, como uma opção lucrativa para obter retorno. O Bitcoin se estabeleceu como uma moeda não fiduciária que pode, sim, fazer parte do dia a dia de muitos. 

 

Com a praticidade do uso, seja na hora de comprar ou vender, pagar contas e realizar transferências, o Bitcoin conquistou seu lugar e agora é uma opção a mais para você fugir do tradicional, evitando taxas e burocracia governamental. 

As criptomoedas cresceram, ganharam seu devido reconhecimento e, com a evolução do Bitcoin, é possível ver como esta é uma tendência que veio para ficar. 

 

 

Bitcoin e o mercado econômico

 

A evolução do Bitcoin permitiu a abertura de novos caminhos e oportunidades no mercado – o que antes era apenas mais uma forma de investimento, nos dias de hoje é uma tendência mundial que pode substituir a moeda tradicional. 

 

O Bitcoin passou por muitos altos e baixos ao longo dos anos, tanto é que o seu próprio criador, logo no início, previu uma queda a cada quatro anos da moeda para controlar o suprimento do criptoativo.

Desde de então, o que foi dito pelo criador do Bitcoin vem se tornando realidade. Em 2016, o Bitcoin sofreu uma queda em sua valorização, no entanto, no ano seguinte a recuperação foi melhor do que o esperado. Chegando ao valor de U$ 19.000, o Bitcoin comprovou sua evolução, alcançando uma marca jamais vista no histórico da valorização da moeda. 

 

Com a aceitação dos criptoativos ao redor do mundo, o cenário de investimento e valorização do Bitcoin se tornou ainda mais positivo, devido à alta procura da moeda por novos investidores e à adoção da política crypto-friendly de alguns países. 

Recentemente, com o boom obtido pelo Bitcoin, a progressiva para o seu futuro é bastante otimista, segundo muitos pesquisadores e analistas do mercado econômico. 

 

Vale ressaltar que as inovações na área e as mudanças no cenário econômico são pontos favoráveis para que no próximo período o Bitcoin esteja em alta no mercado, com uma valorização maior do que o esperado. 

 

 

Pontos favoráveis para a valorização do Bitcoin

 

Em linhas gerais, a posição do Bitcoin no mercado depende de muitas variáveis, tais como: situação econômica mundial, valorização de outras criptomoedas, estabilidade, entre outras. 

Dessa forma, da mesma maneira que existem pontos que podem desestabilizar a moeda, existem detalhes que fazem com que o Bitcoin seja valorizado. Veja a seguir quais são os principais. 

 

 

Halving: o evento de valorização do Bitcoin

 

O halving, por exemplo, que nada mais é do que um “esquenta” da criptomoeda, irá acontecer em breve. O evento que coloca a valorização dos criptoativos no topo está chegando. 

Segundo o analista-chefe da Hashdex, se seguirmos o mesmo padrão dos dois últimos halvings, a alta do Bitcoin é algo eminente. Afinal, sempre após a este evento o valor dos ativos subiu de forma impressionante. 

 

Isso se dá pois o evento pode fazer com que os mineradores de Bitcoin tenham uma quantidade muito menor de moedas para vender, o que causa, consequentemente, a alta da criptomoeda.

 

 

Novas ferramentas e tecnologias

Outro detalhe que faz com que a evolução do Bitcoin continue é a evolução da tecnologia que envolve a moeda.

O avanço das ferramentas e dos processos relacionados com o Bitcoin podem fazer com que o seu valor suba, pois haverá mais procura de novos investidores, que veem na tecnologia uma oportunidade de negócio. 

 

Um exemplo disso é a aceitação da criptomoeda como forma de pagamento e, até mesmo, a substituição de algumas opção de crédito tradicionais. 

Esses detalhes fazem com que, cada vez mais, o Bitcoin se torne algo comum no dia a dia das pessoas ao redor do mundo. 

 

Além disso, a valorização da moeda traz notoriedade e, por consequência, novos investidores que até então não enxergavam as vantagens de fazer parte da evolução do Bitcoin. 

 

Política crypto-friendly

 

Quando falamos a respeito da comum utilização do Bitcoin no dia a dia das pessoas, um ponto que não pode ser deixado de lado são as políticas amigáveis às criptomoedas aplicadas por alguns países ao redor do mundo. 

 

Conhecidas como políticas “crypto-friendly”, esse termo diz respeito à aceitação e implementação de criptoativos na economia de um país, visando o incentivo do uso de novas moedas e tecnologias.

Já existem países que trabalham com tal política e, embora não sejam muitos, são esses lugares que servem de exemplo para o resto do mundo poder ver como funciona a implementação de criptomoedas na economia local. 

 

A Nova Zelândia, por exemplo, foi o primeiro lugar no mundo a incentivar o uso de criptomoedas como forma de pagamento de salários para funcionários, legalizando o uso das moedas digitais no cotidiano de empresas e cidadãos. 

Além disso, a Suíça e o Japão também já se mostraram a favor dessa política, incentivando o uso das novas moedas por sua população. 

A China, por sua vez, demonstrou o apoio às criptomoedas na tomada de decisão de implementar um criptoativo próprio, que ainda segue em desenvolvimento no país. 

 

Os exemplos, apesar de poucos, ajudam o mundo a compreender como a utilização de Bitcoin no dia a dia é possível e, ainda por cima, viável tanto para o governo quanto para as empresas locais. 

 

 

Uso de criptomoedas no dia a dia

 

Com o desenvolvimento de novas tecnologias, utilizar Bitcoin de forma comum, seja para pagar contas ou comprar bens pessoais, é algo simples. Afinal, existem ferramentas, como aplicativos e sites, que permitem que você realize esses processos muito facilmente. 

A possibilidade de pagar contas com Bitcoin já é algo comum e, muito em breve, substituir o seu cartão de crédito pelas criptomoedas também será. 

 

Com a popularização sutil do Bitcoin, muitas pessoas sentem a necessidade de poder utilizar as criptomoedas no dia a dia. E, embora isso seja possível, com o pagamento de boletos através de aplicativos e sites, o uso ainda não é muito comum. 

 

Todavia, a progressão em relação à criptomoeda no futuro é otimista. Especialista preveem que, em breve, mais pessoas estarão utilizando o Bitcoin e outras criptomoedas como forma de pagamento para necessidades do dia a dia, devido às vantagens que a moeda oferece, como a isenção de tarifas e taxas cobradas por bancos. 

 

Mas, o Bitcoin pode chegar a substituir o cartão de crédito no futuro? A resposta para esta questão depende de diversos outros fatores, no entanto a tendência dos usuários nos leva a crer que sim. 

 

 

 

Bitcoin x cartão de crédito

 

Bitcoin é uma alternativa ao cartão de crédito
Bitcoin é uma alternativa ao cartão de crédito

 

Especialistas do mercado econômico observam que, cada vez mais, o comportamento da população tende para a utilização das criptomoedas no cotidiano. 

Toda a burocracia bancária, cobranças de tarifas, taxas de utilização e pouca liberdade para lidar com o dinheiro, faz com que os usuários apostem em opção mais simples e práticas, como é o caso do Bitcoin. 

 

Nesse cenário, surgem questões sobre como o uso de criptomoedas pode influenciar – e alterar – a maneira como lidamos com o dinheiro. 

Há quem diga que, um dia, em um futuro não tão distante, deixaremos de usar cartões de crédito e passaremos a utilizar somente criptomoedas. E, apesar de parecer absurdo, essa teoria tem sim fundamento. 

 

Isso porque o Bitcoin não possui taxas e tarifas em relação a seu uso, o que já é uma vantagem em cima da tradicional forma de pagamento. Dessa maneira, a medida que o Bitcoin se torna ainda mais comercial, logo ele poderá entrar na esfera comercial e se tornar uma alternativa de pagamento.

 

Além disso, a frustração com as tradicionais formas de pagamento fazem com que, cada vez mais, novos modelos sejam explorados pelo mercado. Assim, em um futuro não tão distante as possibilidades do Bitcoin substituir o seu cartão de crédito são grandes.

 

Como deu para perceber, portanto, o mercado está sempre em busca de novas ferramentas, e a tendência da evolução do Bitcoin faz com que a criptomoeda seja uma boa opção para o caminho da mudança na forma como nos relacionamos com o dinheiro. 

 

Afinal, o mundo está em constante mudança e a evolução do Bitcoin é mais um passo para o futuro. Então, por que não investir? 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.